BRASIL, UM PAÍS LINDO E MARAVILHOSO COM UMA PARADOXAL ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.

 

                       Mesmo tendo um povo harmonioso, vejam que em todos os momentos políticos do país tudo foi resolvido sem derramamento de sangue, apenas com surgindo de novas lideranças políticas e alterações constitucionais, com presidentes militares e outros civis. Na República atual tivemos o ilustre PRUDENTE DE MORAES (1894) - que sucedeu FLORIANO PEIXOTO (O Marechal de Ferro) que foi o primeiro na presidência e, em seguida, com várias alterações, acreditando a conservação da democracia e sob regime militar.

 

                      Um país onde 236 pessoas ganham mais que todos os demais moradores, ou seja, verdadeiros ricos e milionários, todavia o salário mínimo é de R$1.045,00 (hum mil e quarenta e cinco reais), temos um congresso composto por 513 deputados e 81 senadores, tendo estes como apoio mais de 6.000 funcionários, além de um STF que também tem uma média de aproximadamente 2.000 funcionários, todos bem pagos, pessoal este que consome do governo federal, do erário público, aproximadamente 3 bilhões de reais.

 

                   Em São Paulo a maior Assembléia Legislativa do país com 94 Deputados – sendo em sua maioria apoiadores do governo estadual e tudo que ele envia aquela Casa Legislativa é aprovada, ainda que seja para prejudicar os funcionários públicos, conforme ocorreu recentemente em que foi aprovada por maior a diminuição dos valores pagos dos precatórios, aumento de desconto da previdência e exclusão de muitos outros direitos do funcionalismo públicos estaduais conseguidos através de muito esforço e trabalho continuo desde a CF de 1988 e a CF Estadual de 1989. Funcionários estes ligados à Justiça, Saúde, Segurança, Educação, Sistema Penitenciário e outras funções indispensáveis a administração pública.

 

                        Tudo encerrado através da PEC 18 – Proposta de Emenda Constitucional, mesmo com alguns embaraços pelo próprio Judiciário suspendendo o nobre presidente da casa, aproveitando a socapa da Assembléia, aprova e insiste em fazer com que o funcionário público perca seus direitos e o governo seja mais forte – uma vergonha para a democracia nacional – que o que cabe as instituições representativas é somente calar e apanhar em movimentos classistas - onde é utilizada a força do grupo especial da Policia Militar – CHOQUE – contra os sindicalistas e representantes das associações num estilo truculento e agressivo, onde os funcionários são tratados como se bandido fosse, isso não é a verdadeira democracia que queremos – mas que temos.

 

                      Um país com uma das maiores reservas florestal e riqueza material e fauna que nada deve a nenhum do mundo, mas o desmatamento é grande e a falta de respeito aos menos assalariados, ou pobres, é demais e o grupo superior usa e abusa de sua arrogância para fazer com que este povo humilde seja tratado como verdadeiros escravos e sujeito as leis, legislação esta que somente o operário e menos favorecido é obrigado a cumprir, muitos por não terem bons advogados e outros por não ter nenhuma defesa para que possa fazer a real justiça, em cumprimento ao direito constitucional em seu Art. 5 “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantido-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e a propriedade, nos termos seguintes:” e segue com LXXXVII itens – concluindo em seu §2º “Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do regime e dos princípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil seja parte.”

 

                          Os juízes, Promotores, Desembargadores, Ministros do STF, Deputados, Senadores e outras carreiras jurídicas e políticas somam em seus “proventos” ou “recebimentos” mensais, somando-se suas prerrogativas e “direitos” aprovados por eles mesmos, sempre um salário em torno de R$100.000,00 (cem mil reais) além de sua vasta lista de funcionários, com altos salários, à sua disposição.

 

               O Brasil é o único país do mundo que tem aproximadamente 50 partidos políticos; 513 deputados federais e 81 senadores que juntos consomem R$1,l6 milhões por hora aos cofres públicos, cada um deles acumula salário, auxilio moradia, automóveis, gasolina e motorista, direito a contratação de serviços (por eles nomeados),passagens para viagens internacionais com seguro e diárias, passaporte diplomático, plano de saúde para a família toda, telefonia ilimitada, despesas de gráfica, ajuda de custo no inicio e no final do mandato, assinatura diária de revistas e jornais, a conta só com senadores e deputados federais passa de 600 milhões mensais...(imagine juntando: o presidente e seu vice, 1.024 deputados estaduais, 54 governadores e vices, 11.136 prefeitos, 56.810 vereadores... É um escândalo, um deboche para com o cidadão brasileiro, cujas necessidades básicas lhe são negadas. Uma pequena fortuna de aproximadamente R$ 9.000.000;000,00 (nove bilhões de reais), visto os valores alternados dos vereadores conforme o município e sua renda.

 

              É por isso que achamos que “menos políticos, menos despesas, menos ladrões, menos corrupção, e sobrará dinheiro para investir no país, a ser um exemplo para os países de primeiro mundo.”

 

                         Não é difícil entender por que o país está passando por tamanha crise econômica e por que os políticos não querem largar o poder, ou o osso. Em nenhum país desenvolvido representantes do povo enriqueceram assim.

 

                         Não é uma pandemia que com ajuda de R$600,00 (seiscentos reais) para aproximadamente 70 milhões de pessoas que vai recuperar a nação- veja só isso vai custar aos cofres públicos aproximadamente R$130 bilhões de reais, valor que poderia ter sido utilizado na construção de hospitais, escolas, estradas, moradias, empregos e infra-estrutura do país.

 

                          É neste país em que vivemos, onde poucos ganham muito e muitos ganham pouco, além de outros que nada ganham e são obrigados a viver com ajuda governamental (por falta de emprego ou função) o que chamamos de esmola pública. Nunca se viu nesse país tantos morarem na rua ou não terem onde morar – paradoxalmente muitos prédios vazios e moradias sem conclusão das obras que seriam, em muitos casos, para deslocar moradores de favelas e sem moradias em locais dignos à pessoa humana e, assim, teríamos um país mais justo, humano, harmonioso e cristão realmente. Menos ambição e mais união entre os povos.   

 

 

RODOMIL F OLIFVEIRA /VICE-PRESIDENTE DA IPA-INTERNATIONAL POLICIA ASSOCIATION.

16 DE MARÇO DE 2020.