Livro

“Por que a Cabeça da Gente Não Para de Pensar”

O Autor, nascido em 23 de janeiro de 1953, em São Paulo – SP, é licenciado e bacharelado em Ciências Sociais pela Fundação Santo André, tendo desenvolvido diversos trabalhos comunitários.

 

Este é o título da obra literária de Jorge Maciel de Andrade, Investigador de Polícia aposentado, cujo “release” segue abaixo.

O Autor, nascido em 23 de janeiro de 1953, em São Paulo – SP, é licenciado e bacharelado em Ciências Sociais pela Fundação Santo André, tendo desenvolvido diversos trabalhos comunitários.

No ano de 2006 recebeu o III Prêmio do Instituto Sou da Paz, no quesito “redução de danos”, tendo sido o fundador da Associação de Estudos Psicossociais e Pedagógicos – AEPP - Projeto Cururu.

Jorge continuou desenvolvendo um trabalho direcionado à redução de danos nas comunidades. Foi Delegado do movimento “democracia nos meios de comunicações” – fundador da Rádio Zumbi 96.5 FM, na cidade Santo André (uma das dez rádios padrão de rádio comunitária), tendo sido presidente regional do sindicato de sua categoria (policial civil), na região do ABCD, por duas legislaturas.

Atualmente, Jorge Maciel é articulista de jornais de várias entidades, trabalhando também como palestrante em escolas, empresas e centros culturais.

Seu livro “Por que a Cabeça da Gente Não Para de Pensar”, é um livro infanto-juvenil que trata da realidade posta e idealizada; o papel da escola na formação do indivíduo; a invisibilidade social; linguagens; prostituição infantil; analfabetismo funcional; abandono infanto-juvenil; situações reais de risco; drogas; delinquência e propostas de superação.

03-) Quais são os temas/assuntos principais e coadjuvantes abordados na obra ?

RESPOSTA: Principais – discriminação, visibilidade social e superação.

Coadjuvantes – papel da escola, condições materiais de sobrevivência e pressões sociais na formação do indivíduo.

04- Quais são as principais características do personagem principal e dos coadjuvantes ?

RESPOSTA: Principais – São personagens que na sua trajetória fomentam a "empatia" entre o leitor e os mesmos, pois dentro do contexto que é apresentado na obra, os desafios inerentes a vida cotidiana fazem com que essa aproximação aconteça de forma fluida, a partir da identificação dos leitores com a realidade. Os coadjuvantes são indispensáveis, dado que possibilitam

ao personagem principal, uma gama de possibilidades que poderiam ser seguidas como "escolhas", traduzindo assim a complexidade das relações humanas sensíveis ao processo.

05- Descreva o cenário do livro.

RESPOSTA: O livro é ambientado nas comunidades de periferias de grandes centros, com os personagens atuando nos centros nervosos daquelas metrópoles. Num contexto de abandono social, os personagens, na busca incessante pela sobrevivência, encontram respostas na conhecida "informalidade das atividades econômicas" e marginais.

06- Cite as palavras-chave que mais definem a obra.

RESPOSTA: Invisibilidade social, abandono real, superação, educação.

07- Um trecho sucinto do livro que mais o caracteriza.

RESPOSTA: Neneca - "O criador de vocês é um grandessíssimo filha da puta !!!"

08- Uma breve "sinopse" da obra.

RESPOSTA: A jovem mãe Neneca, busca uma nova vida na terra da garoa, que a recebe debaixo de um viaduto por moradores de rua. Junto a isso, os dois (Neneca e seu filho), devem superar as necessidades impostas por tais condições, apropriando-se das circunstâncias oferecidas pelo destino. Assim, o Estado através dos seus mecanismos oficiais, separa os dois personagens, direcionando cada um para o recolhimento de acordo com as suas respectivas faixas etárias. Posteriormente, com o reencontro, passam a dividir o mesmo teto em uma comunidade da periferia.

09- Biografia sucinta do autor.

RESPOSTA: Bacharelado e licenciatura em "ciências sociais" pela Fundação Santo André – SP, ganhador do IIIº Prêmio do instituto Sou da Paz no ano de 2006 no quesito redução de danos sociais, Fundador da A.E.P.P (Associação de Estudos Psicossociais e Pedagógicos – (projeto Cururu ), Curso no DENARC-SP - "Prevenção ao uso abusivo de drogas" e SENAD, radialista profissional, palestrante e articulista de diversos jornais de entidades.

10-) Uma frase para a chamada do livro.

RESPOSTA: O problema do "analfabetismo funcional" é a "linguagem" . . .

11-) A importância da obra para o mercado literário.

RESPOSTA: A obra pretende suprir a lacuna existente entre a linguagem culta (oficial) e a linguagem popular, propondo uma releitura do contexto social de forma pragmática.

12-) Resumo da obra.

RESPOSTA: O livro busca abordar a realidade concreta dos jovens e adolescentes que vivem à margem da sociedade, propondo discussões a respeito da superação sonhada e a superação possível. Utiliza-se de uma linguagem própria, que possibilita uma leitura combativa ao analfabetismo funcional. Deste modo, escrito em prosa, a obra busca dinamizar o entendimento da leitura, trazendo o leitor para a realidade descrita no livro. Criando, desta forma, a sinergia necessária para alimentar as discussões


SP
Jorge Maciel de Andrade, Investigador de Polícia
 


 
Com este título, o Professor Carlos Alberto Marchi de Queiroz trouxe a lume uma obra de grande valor, contendo uma visão histórica da instituição policial civil, desde a sua criação até os dias atuais, com reflexos na Polícia Judiciária Brasileira. Veja mais >>
Obra de autoria do Dr. José Guilherme Raymundo, Delegado de Polícia aposentado, sócio da IPA, ex-Inspetor da Guarda Civil do Estado de São Paulo, ex-Inspetor Chefe de Agrupamento da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo e ex-Comandante da Guarda Civil de Guarulhos.

No livro o autor presta uma justa homenagem às Guardas Civis Municipais do Brasil, corporações que a cada dia conquistam a admiração e o respeito do povo brasileiro.
 
Web Master

Admin